Prepotência quanto baste...

Algumas das pergutas colocadas a alguns dos candidatos admitidos ao concurso para um lugar de estagiário na área da acção social no âmbito do programa Pepal numa autarquia local:
  • De que cor é o seu pijama?
  • Para que lado costuma dormir?
  • Como coloca as suas pantufas quando se deita?
  • Conte-me uma anedota.
e a minha preferida:
  • Se estivesse num concerto e um rapaz se roçasse em si, o que faria?
Objectivo? apenas consigo pensar num: o de por à prova os entrevistados. Contudo, creio que a entrevista em si, para os cerca de 80 candidatos admitidos a um concurso para apenas uma vaga é, por si só, um grande teste. Estas questões levantam, quanto a mim, uma elevada falta de ética profissional e um total desrespeito para com as 80 pessoas convocadas para uma entrevista de trabalho à mesma hora e à qual o juri compareceu com 30 minutos de atraso, mais ainda quando não foram acompanhadas de quaisquer outras questões de cariz profissional.
É tão surreal que mesmo tendo lá estado (e percorri cerca de 500 Km para o fazer) nem acredito que aconteceu...
Hoje nem rir consigo :(

4 comentários:

Luna disse...

Acontece. Penso que mais que a resposta às perguntas eles pretendem avaliar a reacção às mesmas.

CoisasdeGatos disse...

Continuo a achar que aqui existe uma incrivel falta de ética profissional e que se acontece não deveria acontecer, mas isso sou eu...

Anônimo disse...

:( e vamos imaginar q és admitida... com que pijama é q vais trabalhar?!... ridiculo
Força!

psicoticalvin disse...

eu acho que só a nossa inteligencia rebuscada é que permite arranjar uma explicação para estas perguntas. Não há nada que justifique perguntas deste calibre, nem mesmo pra testar a reacção. Ou isso a Sónia tinha fumado qualquer coisa estranha antes de ser entrevistada...